19 de agosto de 2007

Amendoin em palavras

Em minha
Prórpia terra
Deslocado,
Desolado,
Desumano

Intensidades
Atravessam minha
Alma estrangeira
Alma passageira
Sem beira

Nao tenho fronteiras
Nem a morte me para
a Alma

Fora e nada
Fujo e nada
Mudo e nada

Um comentário:

Delecave disse...

Curti esse poema. Tá mt bom.